Ex. esposa de Bolsonaro afirma ter sido ameaçada de morte pelo deputado, disse em jornal

A senhora Ana Cristina Siqueira Valle disse ter deixado o Brasil há em 2009 por ter sido ameaçada de morte por Bolsonaro

Ex. esposa de Bolsonaro afirma ter sido ameaçada de morte pelo deputado, disse em jornalAna Cristina Valle, ex. esposa de Jair Bolsonaro (PSL), afirmou ao Itamaraty em 2011 que foi ameaçada de morte por ele, motivo pelo qual teria deixado o Brasil. O relato consta de um telegrama reservado no órgão, ao qual o jornal Folha de São Paulo teve acesso. Na época, os dois travavam uma disputa judicial pela guarda do filho, Jair Renan, com cerca de 12 anos à época. As informações são todas de apuração do veículo.

“A senhora Ana Cristina Siqueira Valle disse ter deixado o Brasil em 2009 por ter sido ameaçada de morte por Bolsonaro. Aduziu ela que tal acusação poderia motivar pedido de asilo político neste país [Noruega]”, diz o telegrama. O documento inicialmente obtido pelo jornal via Lei de Acesso à Informação tinha este e outro trecho tarjados.

No domingo, a Folha de São Paulo havia noticiado que Bolsonaro mobilizou o Itamaraty, em 2011, como deputado federal, para que o órgão intercedesse em seu favor depois que a ex-mulher viajou para a Noruega com o filho do casal. O parlamentar estava inconformado com a viagem, realizada sem sua autorização.

A informação da situação e a suposta ameaça consta da íntegra de um telegrama de julho de 2011, escrito pelo então embaixador Carlos Henrique Cardim. Ao jornal, ele explicou a procura por Ana Cristina Valle e o relato de ameaça no documento. “Foi explicada a ela a legislação do Brasil, da Noruega. E aí ela mencionou para o vice-cônsul que estava pensando em pedir asilo. E que teria dito ao vice-cônsul que sofreu uma ameaça de morte do deputado Bolsonaro. E o vice-cônsul me transmitiu isso”.

O diplomata, porém, ressalta: “Não estou aqui [no telegrama] julgando se houve ou não essa ameaça. Só estou registrando o fato que ela falou para o vice-cônsul. E ponto. Lá [embaixada] não é delegacia de polícia. Se ela quiser apresentar uma queixa, ela vai a uma delegacia de polícia no Brasil, apresenta, é outro processo”.

Atualmente, Ana Cristina é candidata a deputada federal pelo Podemos. Ela disse apoiar a candidatura de Bolsonaro ao Planalto e considerou “superado” o episódio na Noruega. Hoje, usa o sobrenome do ex-marido para disputar a eleição.

Segundo o jornal, Bolsonaro foi procurado por meio de sua assessoria, que não havia se pronunciado até o fechamento da reportagem. O deputado está internado no hospital Albert Einstein, em São Paulo, se recuperando de um atentado a faca sofrido durante ato de campanha, em Juiz de Fora (MG), em 6 de setembro

 

Informação consta de documento do Itamaraty de 2011, obtido pelo jornal Folha de São Paulo

Fonte: Folha de São Paulo

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.